Foto

A medicina Chinesa é o culminar de um conhecimento adquirido ao longo de milénios de observação da Natureza e compreensão da doença. A partir dos anos 50 do século XX, o ensino foi institucionalizado de facto e foram celebrados acordos com a Organização Mundial de Saúde para criar centros de formação de estrangeiros de todo o mundo em universidades chinesas. É atualmente considerado pela UNESCO património Mundial da Humanidade e é componente importante do serviço nacional de saúde chinês, com hospitais e centros de saúde próprios, existindo na grande maioria dos hospitais comuns um departamento com uma ou várias especialidades.  Embora seja muito eficaz no tratamento de patologias específicas, a medicina Chinesa é fundamentalmente uma medicina preventiva com o objectivo de promover a longevidade e o bem-estar.

O equilíbrio é conseguido com a ajuda da acupuntura,  massagem Tuina terapêutica, fitoterapia e prescrição herbal, dietética e práticas corpo-mente.

Acupuntura

De acordo com a terminologia da Organização Mundial da Saúde, a acupunctura é considerada um método de tratamento não- convencional. Atribui-se a criação do termo a um jesuíta europeu no século XVII, com as palavras latinas acum (agulha) e punctum ou pungere (punctura). A tradução literal do termo chinês é zhenjiu (针灸) (Zhen - agulha; Jiu  - cauterização). Jiu significa cauterização porque, tradicionalmente, o método também incluía a combustão de folhas de artemísia, preparadas a serem usadas em pontos de acupuntura. De uma perspetiva puramente fisiológica, é um método de estimulação neurológica com efeitos neuromoduladores. Ainda hoje, apesar do espaço que ganha nos hospitais e clínicas médicas, alguns especialistas aceitam a ação terapêutica da acupunctura no tratamento da dor e nas disfunções do sistema nervoso autónomo. 

Fitoterapia e Prescrição Herbal

Consiste na combinação de plantas e outras substâncias minerais ou animais (em gradual desuso, actualmente) – materia medica – com o propósito de prevenir, preservar e reequilibrar o ser humano. Torna-se de extrema importância pela sua grande potência terapêutica. A aplicação de uma fórmula exige uma estratégia bem definida, a ser ajustada a cada patologia, a cada estação do ano e a cada paciente.

Massagem Tuina Terapêutica

A Tuina é uma modalidade importante e tem sido praticada e desenvolvida pelos Chineses há muitos séculos na prevenção e cura de doenças. Baseia-se igualmente nos princípios fundamentais da Medicina Tradicional Chinesa. Caracteriza-se pelo uso de técnicas especiais de massagem sobre os meridianos, pontos de acupunctura e diferentes regiões do corpo.

Dietética

Como terapia, a alimentação é usada com os mesmos princípios da prescrição tradicional da farmacopeia chinesa, segundo o princípio de pares de opostos, naturezas, sabores e tropismos. Prescritos numa dieta com propósitos terapêuticos, esta tradição de cura dá primazia à alimentação antes dos remédios, sendo uma componente importante da medicina Chinesa. Já há muitos séculos na China, o bom médico é reconhecido pela importância que dá à dieta do paciente, constituindo parte importante do diagnóstico. 

Oncologia Integrativa

A medicina do Leste Asiático é, hoje em dia, cada vez mais uma prática reconhecidamente válida e que contribui positivamente para a saúde pública. Praticada em diferentes modalidades, especialidades e metodologias, a sua expressão chega a ser o reflexo consciente de conceitos propostos há mais de dois mil anos.

A acupuntura, a prescrição herbal, a fitoterapia e a gestão de hábitos saudáveis de acordo com os princípios da prevenção e reabilitação na visão tradicional da medicina do leste asiático poderão contribuir significativamente para apoiar a prevenção do cancro, assim como para a reabilitação e a melhoria da qualidade de vida no paciente oncológico.

A prescrição herbal visa um tratamento holístico que pode ser usado na prevenção e em qualquer estágio de desenvolvimento da doença oncológica,  à partida. A fitoterapia, embora suportada primariamente em metodologias puramente modernas, de igual modo pode beneficiar os pacientes nas diversas fases. A acupuntura é frequentemente usada para tratar questões relacionadas com sintomas da doença e tratamentos oncológicos, incluindo afeções do foro psicoafetivo. Por fim, nenhuma destas especialidades fará sentido sem o compromisso da parte do paciente em assumir responsabilidade por aquilo que pode mudar nos seus hábitos e atitudes.